www.aluznamente.com.br

JORGE HESSEN

PACTO ÁUREO

(OS PRIMÓRDIOS DO “ESPIRITISMO”)

 

(A HISTÓRIA DO ESPIRITISMO NO BRASIL)

 

OS PRINCIPAIS FATOS MARCANTES DO MOVIMENTO ESPÍRITA

 

PACTO ÁUREO?

JORGE HESSEN

Por que pretexto realizei esta pesquisa?

Em verdade, recentemente fomos convidados escrever um texto e proferir palestra no centro dirigido por um amigo cujo tema proposto era “Os 66 anos do pacto áureo”. Admitimos que jamais tinha abeirado tal tema, nem para historiar, nem para interpretar. Acolhemos a solicitação e debruçamos nas diversas fontes disponíveis (orais, livros, jornais, revistas, vídeos etc.).

Entendemos ser importante informar, antes de expor qualquer juízo sobre o tema, que por longos anos exercemos as funções no cargo de assessor especial dos presidentes das federações espíritas de Mato Grosso e Distrito Federal, portanto, temos experiência e distinguimos relativamente bem algumas propostas de programação visando a organização do movimento espírita sob o ponto de vista da “unificação” do movimento e da “união” dos espíritas.

Durante a escavação dos dados históricos, procuramos avaliar as minudências dos estatutos da FEB, a estrutura administrativa da direção, as ideologias individuais de uns e outros administradores e diretores (antigos e atuais).

Conseguimos entrevistar o ex-presidente Antônio César Perri (vide entrevista na íntegra através do link http://aluznamente.com.br/luz-na-mente-entrevistou-cesar-perri-presidente-da-feb/  Ante as suas respostas e fraternal acolhimento ficamos entusiasmados, mormente com a lucidez e consciência gerencial sobre a dinâmica federativa.

César demonstrou nas respostas muita consciência, afetuosa paciência e insólita sapiência. Sim, o presidente da FEB demonstrou ótima retórica nas elocuções doutrinárias, competência de síntese nas explicações fornecidas aos questionários, sobretudo sobre o tema “Roustaing”.

Através da imprensa espírita fomos acompanhando a gestão do César na presidência da “casa mãe” até o dia das novas eleições para a presidência. Conversando com um ou outro da “casa mãe” deparamos que por motivos banais os diferentes membros do “conselho superior” febiano foram previamente, segundo entendemos, contaminados de subsídios negativos sobre o procedimento administrativo e a personalidade do presidente.

Escutamos aqui e acolá alguns títulos atribuídos ao César, tipo: “arrogante”, “vaidoso”, “prepotente” e paradoxalmente quase todos disseram-me que o presidente era um excelente administrador. Resultado: foi deliberada de maneira “fraternal e democrática” pela não reeleição do César Perri. Da disputa pelo cargo foi eleito para assumir a presidência o roustanista Jorge Godinho, um desconhecido do Conselho Federativo Nacional.

Na oportunidade também entrevistamos o presidente recém eleito (vide entrevista na íntegra no link: http://aluznamente.com.br/entrevista-do-recem-eleito-presidente-da-feb-na-integra/) e percebemos nas respostas “digitadas” a mim enviadas (via e-mail) que o presidente designado era recruta nas questões federativas, portanto sem maiores experiências para arrostar o compromisso federativo da autoproclamada “casa-mãe”.

Por causa das respostas enviadas a mim (via e-mail), procedidas do presidente eleito e sabendo que na sede da FEB (em Brasília) há claras divisões e conflitos entre os eternos “donos da basílica”, os “autocráticos” e perenes diretores roustanistas versus trabalhadores e frequentadores contrários à imposição das reuniões públicas das tradicionais terças feiras consagradas ao “estudo” (lavagem cerebral?) dos quatro evangelhos do bordelense incauto.

Ante esse panorama tão “fraternista” deliberamos catalogar os subsídios históricos sobre a trajetória do Espiritismo no Brasil. Na pesquisa esbarramos com inusitados fatos relacionados à autoproclamada “casa mãe” do “Espiritismo” e a cereja do bolo foi o episódio que culminou inexplicavelmente no tal “pacto áureo”.

Percorramos a seguir quais foram os caminhos que percorremos e que destino alcançamos.

Jorge Hessen

O Combativo Escritor Espírita

1949 - A FEB anuncia a realização do “Pacto Áureo”, para a unificação do Movimento Espírita brasileiro. Por iniciativa de Leopoldo Machado, têm início a Caravana da Fraternidade. A Confederação Espírita Panamericana - CEPA realiza no Rio o seu II Congresso.

A Caravana da Fraternidade na capital do Rio Grande do Norte em 1949. Pela ordem da esquerda para a direita: Leopoldo Machado (calça branca e paletó escuro) - ; Luiz Burgos Filho (sem paletó); Abdias Antônio de Oliveira (paletó branco) – vice-presidente da FERN; Francisco Spinelli (paletó escuro); Major Felipe Soares (atrás, aparece só a cabeça) – presidente do Centro Espírita Victor Hugo – RN; Carlos Jordão da Silva (paletó branco e segurando chapéu); Severino Rodrigues Viana; Sebastião Félix de Araújo, ex-presidente da FERN, pioneiro da Unificação no Estado; Ary Casadio (com bigode); Major Alfredo Lemos da Silva; Sebastião Avelino de Macedo (trabalhador vinculado à orientação de juventudes); Hilpert Viana – trabalhador do Centro Espírita Victor Hugo – RN.

Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (Pacto Áureo?)

Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (Coletânea Refletindo Cobranças de Taxas de Congressos Espíritas)

"A Religião é o laço que nos une a Deus, e a manifestação mais simples, e também, mais alta de religião, que o homem, com facilidade, concebe, é a caridade. A caridade é, pois, o expoente máximo da Religião.

Não dizemos que a Religião é a verdade, porque seria isso dificultar a conquista da Religião, que, com tanta sabedoria, tanto amor e tanto sacrifício, Jesus pôs ao alcance de todas as criaturas humanas.

A caridade se faz compreender por todos, e é a todos acessíveis. Mas a verdade só se alcança através dos grandes impulsos da inteligência. Esta, contudo, somente quando iluminada pela claridade, pode aspirar à contemplação interior de Deus. Por isso é que só a caridade salva.

Em resumo: a Religião, que ensina e conduz à caridade, tem o seu ponto de apoio no Evangelho de Jesus, porque foi este o maior Espírito que baixou a Terra, e soube, como nenhum outro, praticar a caridade em sua plenitude."

Cairbar Schutel "O Bandeirante do Espiritismo"

"O verdadeiro espírita não é o que crê nas comunicações, mas o que procura aproveitar os ensinamentos dos Espíritos. De nada adianta crer, se sua crença não o faz dar sequer um passo na senda do progresso, e não o torna melhor para o próximo."

Allan Kardec "O Codificador do Espiritismo"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen - Parte 01 - "O Pacto Áureo Ante A História Do Espiritismo No Brasil" (Palestra espírita de Jorge Hessen realizada no dia 6 de fevereiro de 2016 no Grupo de Assistência Espiritual Eurípedes Barsanulfo (GAEEB), localizado em Taguatinga (DF), no evento: o XXIV Encontro dos Caravaneiros, Obreiros, Amigos Reunidos (ECOAR), cujo tema foi "O Pacto Áureo Ante A História Do Espiritismo No Brasil")

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen - Parte 02 - "O Pacto Áureo Ante A História Do Espiritismo No Brasil" (Palestra espírita de Jorge Hessen realizada no dia 6 de fevereiro de 2016 no Grupo de Assistência Espiritual Eurípedes Barsanulfo (GAEEB), localizado em Taguatinga (DF), no evento: o XXIV Encontro dos Caravaneiros, Obreiros, Amigos Reunidos (ECOAR), cujo tema foi "O Pacto Áureo Ante A História Do Espiritismo No Brasil")

Jorge Hessen - Pacto Áureo (Os Primórdios do Espiritismo)