JORGE HESSEN

APELOS À VIGILÂNCIA

(QUESTÕES DOUTRINÁRIAS - À LUZ DO ESPIRITISMO)

Prefácio:

Erasto recomendou a necessidade de se rejeitar dez verdades como sendo mentiras, do que aceitar uma única mentira como sendo verdade. Com essa citação simples, o Espiritismo, nos demonstra o quanto é grave as questões relacionadas às práticas doutrinárias. Kardec era um perscrutador por natureza e adotou essa severa postura a fim de que não fosse pelos caminhos da incoerência.

Nas Questões Doutrinárias à Luz do Espiritismo a expressão pureza doutrinária ainda é mal compreendida no meio espírita. “Alguns acreditam que pureza doutrinária engessa o Espiritismo, impedindo o desenvolvimento do seu caráter progressista”. (1) Entretanto, por mais contra intuitivo pareça, é justamente a pureza doutrinária o ingrediente mais importante para se desenvolver o Espiritismo de modo eficiente.

“É preciso, pois, evitar o deixar-se seduzir pelas aparências, tanto da parte dos Espíritos, quanto da dos homens;... é preciso que tudo seja friamente examinado, maduramente pesado, confrontado, e, se desconfiamos do próprio julgamento, (...) é preciso recorrer a outras pessoas.” Essas palavras de Kardec, em discurso feito em 19 de setembro de 1860 aos espíritas lioneses, não expressam exatamente a postura de pureza doutrinária que a Física e toda Ciência adotam?

Portanto, o movimento espírita deve valorizar a pureza doutrinária em suas atividades. É justamente ela que ajudará o caráter progressista do Espiritismo.

Para desenvolver bem o caráter progressista do Espiritismo, é necessário estudar aprofundadamente as obras básicas do Espiritismo; pesquisar as obras, mediúnicas ou não, de autores bem reconhecidos no movimento espírita, sempre verificando se elas de fato não apresentam conflitos com a base doutrinária; evitar a adição de enxertos e novidades sem satisfazer o crivo da razão e sem a devida demonstração, que, por sua vez, não pode ocorrer de modo superficial e sem completo domínio do assunto em questão; seguir, enfim a recomendação de Erasto “É melhor repelir dez verdades do que admitir uma única falsidade, uma só teoria errônea”.(2)

O Espírito Camilo recorda que “nesses tempos atuais chamam-nos à fidelidade aos projetos do Espírito de Verdade, para que estejamos atentos a fim de que não abandonemos o trabalho genuinamente espiritista, passando a ocupar valioso tempo com palavrórios e disputas, situações e questões que, declaradamente, nada tenham a ver com a nossa Causa, por não serem da alçada do Espiritismo”. (3)

São Paulo, 04 de janeiro de 2012

Irmãos W. e Jorge Hessen

Referências bibliográficas:

 (1) Kardec, Allan. A Gênese, Rio de Janeiro: Editora FEB, item 55 do cap. I 1995

(2) Kardec, Allan. O Livro dos Médiuns, Rio de Janeiro: Editora FEB, item 230, 1995

(3) Teixeira, Raul. Mensagem “Definição e trabalho em tempos difíceis”  ditado pelo Espírito  Camilo, em 11-11-2005 publicada em Reformador, Janeiro de 2006.

Fontes: Jorge Hessen - Programa Espiritismo em Foco (Palestra espírita realizada na cidade de Anápolis-Goiás, no Centro Espírita Vicente de Paulo, na data de 28 de maio de 2017.)

Fontes: Jorge Hessen - Programa Espiritismo em Foco (Armando Falconi fala sobre o Artigo “Espíritas escravizados a símbolos, mitos e fantasias?” de Jorge Hessen)

"Conforme nos advertem os benfeitores Espirituais, não podemos viver tão-somente de inteligência, necessitamos de amor para sobreviver a todas as calamidades necessárias ao processo evolutivo em que estamos envolvidos na Terra."

Jorge Hessen "O Combativo Escritor Espírita"

"A boa qualidade do médium não está na facilidade das comunicações, mas unicamente na sua aptidão para só receber as boas. Ora, é nisto que as suas condições morais são onipotentes; é nisso também que ele encontra os maiores escolhos."

Allan Kardec -  Revista Espírita, fevereiro de 1859 - Escolhos dos médiuns

 

RELAÇÕES DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Allan Kardec - O Evangelho Segundo O Espiritismo (Cap. VI - O Cristo Consolador)

 

Jorge Hessen - Apelos à Vigilância