JORGE HESSEN

REFLEXÕES ESPÍRITAS ANTE OS FATOS EXPLANADOS

(QUESTÕES DOUTRINÁRIAS - À LUZ DO ESPIRITISMO)

Prefácio:

Nada nos pertence na Terra. Só Deus é o verdadeiro Senhor de Tudo. Muitas vezes nos alegramos em face da alimentação, mas, é o Criador da Vida quem agencia a manutenção do germe para que a semente, transformada em pão, nos assegure o equilíbrio alimentar.

Gabamo-nos do dinheiro que nos avaliza a obtenção dos bens indispensáveis à segurança e comodidade. Contudo, foi o Pai Eterno, quem nos obteve indiretamente os expedientes precisos para que nos não escasseassem bem-estar e inteligência, disposição e atilamento na empreitada em que nos agracia a abastança.

Comprazemos com o lar, entretanto, foi o Altíssimo quem nos colocou nos braços maternos que nos ninaram os prantos elementares, abeirando-nos das ternuras que nos locupletam os dias...

O Espírito Sheila convida-nos à lembrança do Onipotente, segundo consignado na mensagem “Pão, Ouro e Amor” (1) reafirmando que o Todo Misericordioso nos confere os tesouros da vida, a fim de que aprendamos a buscar-lhe o Paterno Seio... Em face disso, aprendamos a repartir com nosso próximo o caminho dos talentos que Ele nos empresta, na certeza de que somente ao preço da fraternidade infatigável e pura, subiremos para a Glória Divina, em que Deus nos reserva a imortalidade da vida, entre as fulgurações da Sabedoria Imperecível e as bênçãos do Amor Eterno.

São Paulo, 03 de abril de 2011

Irmãos W. e Jorge Hessen

Referência:

(1) XAVIER, Francisco Cândido. Taça de Luz, Pelo Espírito de Scheilla. São Paulo: FEESP, 1972. Capítulo 39

Fontes: Jorge Hessen - Programa Espiritismo em Foco (Bezerra de Menezes adverte sobre os enxertos perniciosos)

Fontes: Jorge Hessen - Programa Espiritismo em Foco (Diante dos maus profissionais, urge exercitar a tolerância, sem conivências)

"O Cristo não pediu muita coisa, não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros."

Chico Xavier "O Mensageiro da Paz"

"O homem é, ao mesmo tempo, um ser muito singular e muito fraco. É singular no sentido de que, mesmo em meio aos fenômenos que o cercam, não deixa de seguir a sua rotina, espiritualmente falando. É fraco porque, depois de ter visto e ter-se convencido, ri porque seu vizinho riu e não pensa mais naquilo. E notai que aqui falo, não de seres vulgares, sem reflexão e sem experiência. Não. Falo de gente inteligente e, na maioria, esclarecida."

Lamennais - Revista Espírita, agosto de 1860 - Ditados espontâneos e dissertações espíritas - A eletricidade espiritual

 

RELAÇÕES DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Allan Kardec - O Evangelho Segundo O Espiritismo (Cap. XIII - Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita)

 

 Jorge Hessen - Reflexões Espíritas Antes Os Fatos Explorados