www.aluznamente.com.br

 

 

A LUZ NA MENTE

REVISTA ON LINE DE ARTIGOS ESPÍRITAS

 

O Pedido de pauta na reunião ordinária do CFN de 2015

(OS GRANDES EMBATES DO ESPIRITISMO NO TEMPO ATUAL - AS QUESTÕES DA FEB)

 

Analisando a desaprovação da FEB a respeito do “pedido de pauta na reunião ordinária do CFN de 2015, para análise de proposta ao Conselho Federativo Nacional objetivando alteração do estatuto da FEB pela Assembleia Geral, ampliando a REPRESENTATIVIDADE, de dez para vinte e sete, dos integrantes do CFN a comporem o Conselho Superior” da denominada “casa-mater”, deliberamos publicar (na íntegra) a REITERAÇÃO do pedido de pauta apresentada pelas federativas do Amapá e Rio de Janeiro.

Ei-la:

Ilustre Presidente do CFN da FEB, (Com cópia para os membros do CFN)

As Federativas do Amapá e Rio de Janeiro vêm a sua presença expor o requerer o seguinte:

No dia 06 de agosto do ano em curso, as signatárias requereram pedido de pauta na reunião ordinária do CFN de 2015 para análise de proposta ao CFN com o objetivo de alteração do estatuto da FEB pela Assembleia Geral, ampliando a representatividade, de dez para vinte e sete, dos integrantes do CFN a comporem o Conselho Superior da FEB.

Para nossa surpresa e desapontamento a pauta ora encaminhada não contemplou o assunto pedido o que demonstra indubitavelmente que o mesmo foi indeferido. Chamamos a atenção para o estatuto da FEB que sobre o assunto assim estabelece: “Art. 7º – São direitos dos representantes das instituições que compõem o CFN: III – apresentar sugestões de interesse geral que visem dinamizar e atualizar o Movimento Espírita Nacional; ” Conforme se infere do dispositivo supra, é um direito das federativas proporem assuntos a serem apreciados pelo CFN. A presidência do Conselho Federativo Nacional pode até não concordar com as ideias propostas por um de seus integrantes, mas não pode unilateralmente impedir a apreciação pelo colegiado de questões de interesse geral dos componentes que, inclusive, são os que tem o poder de decisão segundo o regimento interno do CFN, senão vejamos: “Art. 17 – As deliberações do CFN serão tomadas por maioria simples de votos dos representantes presentes cabendo ao Presidente o voto de qualidade. ”

Ou seja, o presidente do CFN é o grande condutor da reunião, o grande árbitro e moderador dos debates, mas só tem poder de voto em caso de empate, é isso o que quer dizer o termo “voto de qualidade”, também conhecido como “voto de minerva”.

Ao decidir que a proposta apresentada pelo Amapá e Rio de Janeiro não deva constar na pauta a presidência sozinha já julgou a proposta prejudicada, impedindo os debates e deliberações do mérito da matéria pelo plenário do CFN, quem realmente detém legitimidade para tal. Lembramos que se a sugestão de pauta não fora produzida pelo presidente, cabe tão somente a ele aprovar ou não a minuta que lhe fora apresentada, já que sua resposta para a FEEGO, (via email) do quando esta federativa subscreveu o pedido fora de que “o assunto constaria da pauta do CFN”. A delegação de poderes a quem quer que seja não indica atribuir infalibilidade a este. A responsabilidade é sempre do condutor do processo. No caso, o presidente do CFN. Ante ao exposto, requerem que a decisão denegatória seja reconsiderada para que conste na pauta da próxima reunião ordinária do CFN como um dos assuntos a serem debatidos e deliberados pelo seu plenário. Na certeza de sua sensibilidade ao pedido formulado encerramos este com votos de saúde e paz.

Fraternalmente,

Felipe Menezes – FEAP

Helio Loureiro – CEERJ

REGISTRO:

(Diferença de posturas do atual e do ex-presidente da FEB, quando este último convocou reunião para tratar de assuntos levantados por minoria de Federativas – abaixo citadas)

DA ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO FEDERATIVO NACIONAL DO ANO DE 2014 (DIAS 23 E 24 DE AGOSTO DE 2014)

(Distribuída com a Pauta da Reunião de nov./2014)

Trecho de leitura inicial da Convocação feita pelo presidente da FEB Antonio Cesar Perri de Carvalho: A seguir o Secretário Geral do CFN, Roberto Fuina Versini, leu a convocação e a pauta da presente reunião: Considerando: 1) Fatos desenrolados a partir da ampla divulgação de Carta assinada por dirigentes das Federativas de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no dia 21/6/2014, e explicitados na Circular CFN-FEB no 13/2014 do presidente da FEB, do dia 2/7/2014; 2) Que imediatamente – em apenas um dia –, após a divulgação da Circular CFN-FEB no 13/2014, mais da metade das Entidades Federativas Estaduais se manifestaram apoiando a proposta do presidente da FEB, de realização de uma Reunião Extraordinária do CFN da FEB; E com base no Estatuto da FEB (Art. 61, par.1º) e Regimento Interno do CFN da FEB (Art.10), convocamos o Conselho Federativo Nacional da FEB para o local, dia, horário e cumprimento de pauta, abaixo especificados: Local: Sala do CFN, na sede da FEB, em Brasília; Dias: 23 e 24 de agosto de 2014; Horários: das 8h30 do dia 23/8 (sábado) até 12h do dia 24/8 (domingo); Pauta: 1) Relações entre decisões do CFN/Áreas Nacionais do CFN/Estruturas da FEB, à luz do Estatuto da FEB e do Regimento Interno do CFN da FEB; incluindo-se sugestões de Entidades Federativas Estaduais; 2) “Planejamento Estratégico” da FEB no tocante a ações federativas. Solicitação feita durante reunião conjunta do Conselho Superior da FEB com o CFN (Ata do Conselho Superior da FEB do dia 9/11/2013); 1) Assuntos para a pauta da Reunião Ordinária do CFN programada para novembro pf.. “[...] convocada pelo presidente da Federação Espírita Brasileira, Antonio Cesar Perri de Carvalho, a fim de abrir espaço para um diálogo direto, franco e geral, com o objetivo de contribuir para a análise, compreensão e encaminhamentos que visem o melhor entendimento das relações entre decisões do CFN…” (Reformador, edição de outubro de 2014, p. 633-4).

NOSSAS REFLEXÕES:

SERÁ QUE O INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE PAUTA NA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CFN DE 2015 INVIABILIZA A DISCUSSÃO DA QUESTÃO NA REUNIÃO DO CFN?

OBVIAMENTE NÃO! AINDA MESMO QUE NEGUEM NOVAMENTE A REITERAÇÃO DO PEDIDO DE PAUTA, OS REPRESENTANTES PODERÃO PROVOCAR O ASSUNTO NO CFN, POIS PARECE-NOS QUE HÁ CONSENSO.

ACREDITAMOS QUE MUITOS LÍDERES ESPIRITAS ESTÃO DIVISANDO ESSA ANOMALIA INSTITUCIONAL. O FUTURO PRESIDENTE DA FEB PRECISA SER ELEITO TAMBÉM COM OS 27 VOTOS DO CFN. A FEB TEM SIDO TÃO-SOMENTE UM MAJESTOSO CENTRO ESPÍRITA, CUJO CONSELHO SUPERIOR ATUAL MANTÉM AS RÉDEAS DO M.E.B. A FEB NECESSITA TRANSFORMAR-SE NUM FÓRUM DE DISCUSSÕES COM MAIOR REPRESENTATIVIDADE PARA BUSCA DE SAÍDAS COERENTES QUANTO À DIREÇÃO CRISTÃ DO M.E.B.

A RIGOR O “ESPIRITISMO ORGANIZADO” DEVE PASSAR POR AMPLAS MUDANÇAS, PARA ISSO, URGE EVOLUIR OS CONCEITOS FEDERATIVOS E TORNAR-SE MAIS COESO E ATENTO EM SUAS INTERROGAÇÕES E RESPOSTAS. AS LIDERANÇAS FEDERATIVAS NÃO DEVEM PERMANECER SOB O TACÃO DE UM CENTRO ESPÍRITA LOCALIZADO EM BRASÍLIA QUE DETÉM A SUPREMACIA SOBRE TODOS OS CENTROS ESPÍRITAS DO BRASIL. NÃO FAZ NENHUM SENTIDO. A SER MANTIDO A ATUAL COMPOSIÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR DA FEB, JAMAIS SERÁ ELEITO UM PRESIDENTE MEMBRO DO CFN.

GUARDAMOS A ESPERANÇA QUE UM DIA SEJA CRIADA UMA CONFEDERAÇÃO ESPIRITA BRASILEIRA. SIM! UM FÓRUM , UMA AUTÊNTICA COMISSÃO CENTRAL (AOS MOLDES RECOMENDADOS POR KARDEC) PARA CONDUÇÃO DO M.E.B. CONSUBSTANCIANDO-SE NO GRANDE CONVITE AO PENSAMENTO CRÍTICO, AVISTANDO, SOB A COERÊNCIA DOUTRINÁRIA, A UNIÃO DOS ESPÍRITAS ATENTOS E UNIFICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DAQUELES QUE SE ESFORÇAM PARA AS PRÁTICAS SIMPLES DO EVANGELHO.

OS PRESIDENTES E REPRESENTANTES DAS FEDERATIVAS NECESSITAM ARREGAÇAR AS MANGAS NESSE SENTIDO. SOMENTE ASSIM PODEREMOS AFIRMAR QUE NO BRASIL AINDA É POSSÍVEL CRIAR-SE A LEGÍTIMA COMISSÃO CENTRAL TÃO ALMEJADA PELO CODIFICADOR.

Jorge Hessen
Jorgehessen@gmail.com

Fontes: A Luz Na Mente - Revista On Line de Artigos Espíritas (O Pedido de pauta na reunião ordinária do CFN de 2015)
 

 

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.
Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.
Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!
A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.
Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.
A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.
Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.
Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.
Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.
Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade.

1 Coríntios 13:1-13
Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.
Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.
Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!
A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.
Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.
A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.
Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.
Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.
Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.
Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade.

1 Coríntios 13:1-13