ZÊUS WANTUIL

OS GRANDES PESQUISADORES DO TRABALHO DE ALLAN KARDEC

(1924 - 2011)

 

FRANCISCO THIESEN

OS GRANDES PESQUISADORES DO TRABALHO DE ALLAN KARDEC

(1927 - 1990)

 

ZÊUS WANTUIL - FRANCISCO THIESEN

ALLAN KARDEC

PESQUISA BIOBIBLIOGRÁFICA E ENSAIOS DE INTERPRETAÇÃO

(VOL. 01 - VOL. 2 - VOL. 3)

Zêus Wantuil:

Nasceu no Rio de Janeiro, às 14 horas do dia 6 de outubro de 1924, e desencarnou na madrugada de 1º de setembro de 2011, aos 86 anos. Após longa e tenaz enfermidade, cristãmente suportada, ex-diretor da Federação Espírita Brasileira (FEB).

Era filho do ex-presidente da FEB, Antônio Wantuil de Freitas, e da professora Zilfa Fernandes de Freitas. Seus primeiros contatos com a Doutrina Espírita se deram por meio de reuniões espíritas semanais, dirigidas por seu pai na casa em que viviam, no mesmo bairro de São Cristóvão.

É no ano de 1940 que passa a frequentar a FEB em sua Sede na Av. Passos, 30. Seu interesse por pesquisas sobre a história do Espiritismo surge em 1942, aos 18 anos, sendo muito incentivado pelo pai e por confrades estudiosos do assunto. Três obras notáveis, editadas pela FEB, resultaram do seu talento inato: As Mesas Girantes e o Espiritismo (1958), Grandes Espíritas do Brasil (1969) e Allan Kardec – Pesquisa Biobibliográfica e Ensaios de Interpretação, em parceria com Francisco Thiesen (3 volumes, 1973), tendo sido, esta última, em 2004, compactada em 2 volumes sob o título Allan Kardec: o Educador e o Codificador.

Seus talentos de escritor e pesquisador se revelavam de tal forma brilhantes que lhe granjearam a simpatia, a admiração e o respeito de Canuto Abreu, um dos mais renomados historiadores do Espiritismo no Brasil, como o atesta este trecho de uma sua carta datada de 25 de abril de1952.

Fontes: Reformador, 2011. Autor: Soares, Affonso.

Francisco Thiesen:

Nasceu em 28 de março de 1927, no Rio Grande do Sul, e desencarnou em 6 de agosto de 1990, no Rio de Janeiro.

Foi o 19º presidente: mandato: 1975-1990. (Cruz Alta, RS, 1927; Rio de Janeiro, 1990).  Atuou em empresas de seguro. Iniciou sua atuação espírita no Rio Grande do Sul, inclusive na Federação daquele Estado. Foi tesoureiro da FEB e diretor de Reformador e do Departamento Editorial. Atualizou este Departamento e modernizou as capas de livros. Denotava em sua personalidade a marca da objetividade e a luta constante pela causa Espírita. Durante sua gestão ocorreu a transferência do Conselho Federativo Nacional da FEB para Brasília, em 1978, no primeiro Centenário da FEB (2/1/1984) foi transferida a Sede da FEB para Brasília. Em 1985, os Conselhos Zonais foram transformados nas Comissões Regionais, que foram instaladas em 1986 e 1987. O CFN aprovou: a Campanha Nacional da Evangelização Espírita Infantojuvenil (1976); A adequação do Centro Espírita para o melhor atendimento de suas finalidades (1977); Orientação ao centro espírita (1980); Diretrizes da Dinamização das Atividades Espíritas (1983). Houve o lançamento das Campanhas de Evangelização Espírita Infantojuvenil (1977) e do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (1983). Iniciou o intercâmbio direto com os países, realizando viagens para visita a instituições espíritas das Américas e da Europa e representou a FEB em congressos realizados em vários países. Em 1989 a FEB promoveu o Congresso Espírita Internacional, em Brasília, de onde surgiu a ideia de se criar um organismo espírita internacional. Escreveu artigos e livros.

Fontes: Federação Espírita Brasileira

Evangelho e Espiritismo:

"Eu rogarei ao Pai” - disse Jesus - e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco. O Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. O Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito de Verdade, que dele procede, dará testemunho de mim." (João, 14:16 e 26 e 15:26)

"O Espiritismo - escreveu Allan Kardec - realiza todas as promessas do Cristo a respeito do Consolador anunciado. Ora, como é o Espírito de Verdade que preside ao grande movimento da regeneração, a promessa da sua vinda se acha por essa forma cumprida, porque, de fato, é ele o verdadeiro Consolador." ("A Gênese", FEB, 19ª edição, p. 34)

E acrescenta: "Jesus claramente indica que esse Consolador não seria ele, pois, do contrário, dissera: "Voltarei a completar o que vos tenho ensinado." Não só tal não disse, como acrescentou: "A fim de que fique eternamente convosco e ele estará em vós. Esta proposição não poderia referir-se a uma individualidade encarnada, visto que não poderia ficar eternamente conosco, nem, ainda menos, estar em nós; compreendemo-la, porém, muito bem com referência a uma doutrina, a qual, com efeito, quando a tenhamos assimilado, poderá estar eternamente em nós. O Consolador é, pois, segundo o pensamento de Jesus, a personificação de uma doutrina soberanamente consoladora, cujo inspirador há de ser o Espírito de Verdade." (Obra citada, página 387)

Conclui Kardec que o Espiritismo "não é uma doutrina individual, nem de concepção humana; ninguém pode dizer-se seu criador. É fruto do ensino coletivo dos Espíritos, ensino a que preside o Espírito de Verdade. Nada suprime do Evangelho: antes o completa e elucida. Com o auxílio das novas leis que revela, conjugadas essas leis às que a Ciência já descobrira, faz se compreenda o que era ininteligível e se admita a possibilidade daquilo que a incredulidade considerava inadmissível."

E para que não restasse nenhuma dúvida, voltou a afirmar, categórico: "Assim como o Cristo disse: "Não vim destruir a lei, porém cumpri-la", também o Espiritismo diz: "Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução." Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; mas, desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica. Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele é, pois, obra do Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra." ("O Evangelho segundo o Espiritismo", FEB, 72ª edição, pp. 59/60.)

"Tenho ainda muito o que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora" - havia dito o Divino Mestre; quando vier, porém, o Espírito de Verdade, ele vos guiará a toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar." (João, 16:12 a 15)

Tudo isso forma um conjunto lógico de meridiana clareza: Jesus, o Messias, o Médium de Deus, que preside à regeneração da Humanidade, e prepara o Reino de Deus na Terra, não pode ensinar tudo, de viva voz, porque os homens não poderiam, na época, entendê-lo. Então, em nome do Pai, prometeu enviar-nos o Espírito Santo, isto é, uma Doutrina Consoladora, orientada pelo Espírito de Verdade, que tudo nos explicaria e que nos faria lembrar os seus divinos ensinamentos. Esse Consolador seria enviado por Ele, porque era dele e, como tal, o glorificaria. Cumpriu, quase dezenove séculos depois, a sua grande promessa, através do Espiritismo, que lhe clareou e completou os ensinamentos imortais.

O Espiritismo é, pois, como Kardec reconheceu e proclamou, o Consolador prometido por Jesus, para apressar a redenção da Humanidade, em nome e sob o influxo do Soberano Mestre. Sem as luzes do Espiritismo faz-se impossível entender toda a lógica, toda a verdade e toda a excelsa beleza do Evangelho Cristão, do mesmo modo que sem as luzes divinas do Evangelho o Espiritismo simplesmente não teria qualquer razão de ser.

Editorial

Reformador (FEB) Janeiro 1978

Ver no site as obras completas de Allan Kardec

Fontes: Federação Espírita Brasileira

Fontes: Artigos Espíritas Jorge Hessen (Fidelidade Espírita, Uma Questão de Racionalidade Cristã)

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Zêus Wantuil - Francisco Thiesen (Allan Kardec - Volume 01)

 

Zêus Wantuil - Francisco Thiesen (Allan Kardec - Volume 02)

 

Zêus Wantuil - Francisco Thiesen (Allan Kardec - Volume 03)