HERCULANO PIRES 

ESPIRITISMO DIALÉTICO

Prefácio da obra Dialética e Metapsíquica, do filósofo portenho Humberto Mariotti, originalmente publicada pela “Édipo – Edições Populares Ltda.” em fevereiro de 1951, e republicado em livro por “A Fagulha”, de Campinas - SP, editora do Movimento Universitário Espírita (MUE), em 1971.

Sinopse da obra:

Esta monografia constitui o prefácio da obra Dialética e Metapsíquica, do filósofo espírita argentino Humberto Mariotti.

O autor descreve resumidamente a evolução do espiritualismo em geral, e do Espiritismo em particular, em oposição ao materialismo defendido por alguns importantes filósofos dos séculos mais recentes.

Em oposição à triste filosofia materialista, segundo a qual a consciência individual do homem nasce em um determinado momento e deixa de existir algum tempo depois, Herculano demonstra que somos seres espirituais em processo infinito de evolução, e devemos trabalhar sempre em prol da melhoria do mundo em que vivemos, cuja condição social, boa ou má, se refletirá em nós mesmos.

Trechos da obra:

Vagas aspirações

Alegam os mais ferrenhos materialistas que o conhecimento da sobrevivência – se de fato ela existisse – não serviria senão para perturbar a visão presente do homem, desviando-o da execução pura e simples das tarefas imediatas. Kardec, que condenou a vida contemplativa, e pregou a necessidade da ação contínua, dando o exemplo concreto da sua própria vida de militante espírita, replica: “...a incerteza, no tocante às coisas da vida futura, faz que o homem se lance, com uma espécie de frenesi, sobre as da vida material.”

A réplica de Kardec não exige demonstrações. A vida moderna, baseada no materialismo prático do mundo capitalista, vale por uma experiência natural, em escala de assombro. Nunca se viu tamanho frenesi na procura dos bens materiais.

A advertência de Bacon: “Busca primeiro as boas coisas do espírito, que o resto será suprido ou não sentirás a sua falta”, com base naquela do Cristo: “Busca primeiramente o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais te será dado por acréscimo”, não soa no coração, mas apenas nos tímpanos desatentos do homem moderno.

Diante disso, poderíamos esperar do materialismo teórico ou filosófico uma nova aplicação do princípio de Hahnemann, – similia similibus curantur – para curar o mundo desse delírio febril?

Kardec diz ainda: “Esse é o inevitável efeito das épocas de transição. O edifício do passado rui, sem que o do futuro esteja construído. O homem é como o adolescente, que não tem mais a crença ingênua dos primeiros anos e não adquiriu ainda os conhecimentos da idade madura. Não possui mais do que vagas aspirações, que não sabe definir.”

A sociedade socialista, baseada na filosofia materialista mais avançada, terminaria atormentada por essas “vagas aspirações” de que nos fala Kardec. E mais uma vez surgiria, no seu próprio seio, a luta entre o velho e o novo. A hipótese não é gratuita, pois para tal não acontecer, seria necessário que não existisse uma vida futura, que a sobrevivência não fosse uma das realidades do Universo.

Herculano Pires

Ver no site o pesquisador espírita Humberto Mariotti

Fontes: Fundação Maria Virgínia e J. Herculano Pires

Fontes: César Perri - GEECX - Grupo de Estudos Espíritas Chico Xavier

"Acima de tudo e antes de tudo: humildade. Porque Espiritismo sem humildade é água poluída, cheia dos germes da pretensão, da vaidade, do orgulho que atraem os espíritos inferiores."

Herculano Pires "O Zelador da Doutrina Espírita"

"É um fato comprovado que o Espiritismo é mais entravado pelos que o compreendem mal do que pelos que absolutamente não o compreendem, e mesmo por seus inimigos declarados."

Allan Kardec - Revista Espírita, novembro de 1864 - O Espiritismo é uma ciência positiva

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Allan Kardec - O Céu e o Inferno (Obra de Allan Kardec - "O Céu e o Inferno" -  Primeira Parte - O Porvir e o Nada - Cap. I)

 

Herculano Pires - Espiritismo Dialético PDF