JOSÉ LHOMME

Presidente de Honra da União Espírita Belga

(1938 - 1949)

O SEMEADOR DO ESPIRITISMO NA BÉLGICA

O FIEL DISCÍPULO DE ALLAN KARDEC

(1890 - 1949)

Biografia de José Lhomme:

Estes que nos precedem...
Um Grande Pioneiro: Senhor JOSÉ LHOMME

Se a certeza na sobrevivência da alma não animasse ao mesmo tempo a razão e o coração dos espíritas, nós poderíamos afirmar que o Espiritismo internacional está neste momento de luto.

Com efeito, a morte de José Lhomme não atinge somente a Bélgica amiga, ela atinge o mundo espírita por inteiro, de tal modo era forte sua personalidade, de tal modo suas qualidades de bom senso e de inteligência eram profundas e vivas, que, embora nossas convicções, nós lamentamos seu humano desaparecimento, quando contando apenas 59 anos, restava-lhe ainda tanto a fazer entre nós.

Temos razão de reconhecer em José Lhomme uma grande boa-vontade, uma probidade total, tão escrupulosa, de uma bondade natural, tão simples, tão acolhedora para todos. Ele deu prova ao longo dos anos de tal maturidade moral, intelectual e espiritual! Sua aquisição, resumo de tantas existências ativas e dolorosas, totaliza enormes conhecimentos, um grande cuidado do bem, um profundo amor a verdade, de que sua vida foi um exemplo. Que seja como membro da educação de seu país - onde ele se devotou com todas as suas forças à formação da infância, - ou como homem – onde, nos atos de todos os dias, seu devotamento, sua afabilidade, lhe suscitaram tantas simpatias, tantas amizades ferventes, - ou como espírita, - onde seu papel tornou-se tão preponderante, - ele foi sempre igual a si mesmo.

José Lhomme, era um professor, quando estourou a primeira guerra de 1914-1918, da qual participou ativamente. Gravemente queimado pelo gás, voltou da guerra com a saúde debilitada, que a sua aparente robustez escondia.

Ao se casar com Anna Streel, ele entrou em uma família espírita e assistiu às sessões espíritas, primeiro como um cético, depois com interesse crescente. Ele começou a estudar profundamente esses fenômenos de forma científica e se tornou um convicto defensor dos ensinos do mestre de Lyon e fez assim da cidade Liège, o centro belga de divulgação do Espiritismo.

Kardecista a todo custo não tolerava quem se desviasse dos ensinamentos imortais codificados por Allan Kardec. Ele também tinha muito que lutar contra aqueles que praticavam a mediunidade sem ter estudado profundamente o Livro dos Espíritos e o Livro dos Médiuns ditado pelos imortais.

Presidente de honra da União Espírita Belga de 1938 a 1949, da qual ele foi durante muitos anos o presidente efetivo e diligente, assumiu a direção da “Revista Espírita Belga”, fundada em 1894, e foi seu diretor de 1921 a 1947, ele foi, além disso, um dos ardorosos conselheiros da Comissão Executiva da “Federação Espírita Internacional” sobre direção mestra de Jean Meyer. Com estas responsabilidades tão pesadas, a estas funções tão diversas e tão delicadas que lhe permitiram desenvolver toda sua medida, ele se doa sem contar, não economizando nem seu tempo, nem suas lutas, nem seus modestos recursos, ajudado nisto, apoiado constantemente com uma magnífica compreensão e uma igual generosidade por sua admirável companheira, madame Anna J. LHomme, dedicada, como ele, da grandeza e da verdade do Espiritismo Kardecista.

A partida de nosso caro amigo coloca fim assim, sobre o plano humano, a colaboração de dois seres, unidos por tantos laços do espírito e do coração, por uma mesma necessidade de espalhar as certezas que, pouco a pouco, eles tornaram-se os detentores, em justa recompensa de seu zelo e de sua abnegação. Neste domínio, com efeito, não há ilusões, nem mentiras possíveis; não recebemos senão na medida em que tenhamos trabalhado, lutado, sofrido, adquirido pelo esforço constante de cada dia, que tenhamos doado e perseverado na via desinteressada do “serviço”. Senhor e senhora José Lhomme são, nesta via, “guardiões” que devem inspirar as novas gerações e isto tanto que, é cada vez mais raro, nesta época cúpida onde o egoísmo é rei, de encontrar bons pastores que, mais que nunca no entanto, a multidão tem necessidade.

Assim José Lhomme não nos deixa de mãos vazias. Ele deixa, entre outros, a estes que seguirão seus traços, uma herança de uma excepcional riqueza que se resume, por um lado, no impulso que ele soube dar à União Espírita Belga, ao organismo internacional que o tinha acolhido, à revista que ele tanto amou e em sua obra escrita, pois ele foi um autor de renome, tendo sido um experimentador atento, de uma sagacidade, de uma objetividade que deveria invejar o maior nome entre os observadores modernos, muito frequentemente dispostos a tomar, no domínio da fenomenologia, as aparências pela realidade.

Suas obras principais, - todos as conhecem, tanto são difundidas, - tem por título: “O Guia do experimentador Espírita”, agora esgotada; “O Além ao Alcance de Todos”, que me foi dado prefaciar; “O Fenômeno das Mesas Falante”, tão instrutivo sob vários aspectos; “Quinze Histórias do Além Vividas e Comentadas”, em curso de edição e tão eloquentemente demonstrativas, e, enfim, “O Livro do Médium Curador”, que será publicado brevemente e que venho igualmente de prefaciar, tanto apresentam de interesse estas simples lições oferecidas a todo trabalhador consciencioso.

Hubert Forestier
Vice-Presidente da Federação Espírita Internacional
Revista Espírita de Julho de 1949

União Espírita Belga

(Participação de José Lhomme)

Encontramos vestígios de uma Federação Espírita Belga de 1882 (segundo a Revista Espírita), mas já deve ter havido grupos espíritas antes, pois encontramos na revista espírita da federação francesa a partir do ano de 1879.

A revista "La Vie D'Outre-Tombe" publicada a partir de 1894 por Charles Fritz, que foi o órgão oficial de divulgação da União Espírita Belga. Em 1913, o Sr. Charles Fraikin assumiu a presidência da Federação Espírita Belga.

Em agosto de 1927, a federação belga passou a se chamar União Espírita Belga e se constituiu em ASBL com seus estatutos que seriam revisados em 1934. Reunia muitas federações tanto no sul do país como no norte. Uma revista espírita foi publicada em holandês durante vários anos, já que as federações de Antuérpia, Ostend e Ghent eram numerosas e dinâmicas.

Vários presidentes sucederam à frente União Espírita Belga, incluindo o Sr. Louis MORET em 1937, o Sr. PIERRARD FORIMONT em 1938. Depois, o Sr. José LHOMME de 1938 a 1949. Sob sua égide a União Espírita Belga experimentou um crescimento notável: em encontros nacionais e internacionais com diversas conferencias e encontros de estudos Parapsicológicos e científicos em Charleroi, Liège, Bruxelas, Quaregnon, Ghent, Antuérpia, Oostende, Paris, etc...

Desde o início do Espiritismo, a União Espírita Belga sempre teve relações muito próximas com seus vizinhos franceses, germinando assim a ideia de uma Associação Espírita Ocidental; seria necessário esperar alguns anos antes da realização deste.

O Sr. Achille BIQUET assumiu até 1954, seguido pelo Sr. BERTRAND. Foi em 1965 que foi criada esta associação. Será uma associação de fato e será referida como ASO (Associação Espírita Ocidental). Os membros fundadores são as associações espíritas da Alemanha, França, Holanda e Bélgica.

A União Espírita Belga manteve relações estreitas e amigáveis com diferentes países. Em meados da década de 1990, atingiu o nível mais baixo de sua existência. A União Espírita Belga foi mantido até 1995, mas assumindo apenas duas federações, que se fundiram com a Fédération Spirite Liégeoise para se tornar a Federação e União Espírita Belga da província de Liege.

Pode-se até pensar que essa longa história iria acabar aí, mas na realidade um grupo de pessoas havia iniciado um trabalho fundamental para revitalizar a União Espírita Belga. Graças aos contatos estreitos com nossos irmãos brasileiros, ingleses e franceses, um novo impulso estava em andamento.

Em 1999, uma mudança fundamental ocorreu, um novo comitê foi criado e a União Espírita Belga foi reconstituída. Jean-Paul Evrard recebe a responsabilidade pela presidência. Ela é membro do movimento Mouvement Spirite Francophone.

Union Spirite Belge

1923 Liège Congrès Spirite International

José Lhomme - Conseiller de la La Fédération Spirite Internationalle - France / 1924

Ver no site O Espiritismo na Bélgica nos tempos de Allan Kardec (Revue Spirite D’Anvers)

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Documentário BBC - A Ciência e as Sessões Espíritas) (Science and the Seance)

Documentário produzido pelo respeitado canal de televisão britânico BBC, no qual temos o resgate histórico daqueles foram os mais extraordinários eventos do século XIX: as manifestações espirituais, das quais brotaram, além da Doutrina Espírita, as grandes e revolucionárias invenções tecnológicas na âmbito das telecomunicações, como o rádio e a televisão.

Fontes: Union Spirite Belge

Fontes: l'Encyclopédie Spirite

"Como se vê, o método espírita é positivo e exige a análise comparada das mensagens para assinalar os desvios e os pontos de contato, para determinar as leis espirituais que limitam a ação do ser humano; ele é uma aplicação do método racionalista, cientifico, nasceu do método do indutivo-dedutivo empregado, na psicologia, experimental."

José Lhomme "O Semeador do Espiritismo"

"As mesmas forças espirituais estão sempre ai velando pelo aperfeiçoamento moral, pela evolução daquele que tem por missão se encaminhar para o Divino."

José Lhomme "O Semeador do Espiritismo"

"Pesquisador: Instrue-te... Experimenta... Medita.... Ora..."

José Lhomme "O Semeador do Espiritismo"

 

  RELAÇÕES DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Biografia de José Lhomme

 

José Lhomme - O além ao alcance de todos (PROCESSO DE TRADUÇÃO)

 

José Lhomme - Guia Metódico do Experimentador Espírita

 

José Lhomme - O Livro do Médium Curador

 

José Lhomme - O Fenômeno das Mesas Falantes