MANUEL S. PORTEIRO

o Grande Articulista do Espiritismo

PRESIDENTE DA CONFEDERAÇÃO ESPÍRITA ARGENTINA

(1881 - 1936)

Biografia de Manuel Porteiro:

Nasceu em Avellaneda, província de Buenos Aires, em 25 de março de 1881 e desencarnou, ali mesmo, em 18 de fevereiro de 1936. Em 1910 começou sua participação ativa no movimento espírita, vinculando-se desde esse momento à Confederação Espírita Argentina (CEA), na qual foi desempenhando diversos cargos, até chegar a ser seu presidente, no período de abril de 1934 a março de 1935. Dirigiu durante vários anos seu órgão oficial, a revista La Idea, na qual escreveu numerosos editoriais e artigos sobre os mais variados temas, sempre sob a ótica espírita.

Nessa época, sob a segura direção de Porteiro, a CEA e La Idea constituíram a van-guarda progressista do Espiritismo na América e no mundo. A partir daí, Porteiro, e seu gru-po de abnegados trabalhadores espíritas, como Hugo Lino Nale, Bernabé Morera, Ageo Cul-zoni, Luis Postiglioni e os jovens Santiago Bossero e Humberto Mariotti, escreviam com paixão, viajavam incessantemente por todo o país, dirigindo cursos de formação espírita e fomentavam as relações com o movimento espírita internacional.

O meridiano principal do mundo espírita progressista passava obrigatoriamente, naquela época, pela Argentina e Porteiro era seu referencial fundamental.

Eram essas as linhas básicas de seu pensamento e sobre elas girava todo o seu esforço: sustentar a visão integral do Espiritismo como filosofia científica com profundas conseqüências morais e sociais; rechaçar a definição do Espiritismo como religião ou como uma nova variante do cristianismo; colocar a necessidade do estudo da Doutrina como base para criar a convicção espírita, começando com as obras de Kardec, como base pedagógica; subordinar a mediunidade ao enfoque espírita para fazê-la racional, útil e orientadora; estimular a investigação experimental no campo dos fenômenos mediúnicos e paranormais; enfrentar as superstições e sincretismos que se mimetizam ou disfarçam com os rótulos espíritas; relacionar o movimento espírita nacional e internacional com as lutas pela paz mundial, contra a discriminação de qualquer classe, com as campanhas alfabetizadoras e com todo o esforço que tenda à construção de uma sociedade mais justa, livre, igualitária e fraterna.

Esplêndidas diretrizes que, em si mesmas, representam autênticos programas para desenvolver um Espiritismo dinâmico, culto, livre, aberto, adogmático, racionalista, laico, universalista, fraterno, solidário e amoroso.

Para expô-las e defendê-las, viajou Porteiro, em companhia de Mariotti, para participar do V Congresso Espírita Internacional, realizado em Barcelona, Espanha, em outubro de 1934. Nesse cenário, onde conviviam e divergiam as correntes latinas e saxônica do Espiritismo, brilhou o talento de Porteiro e a profundidade de sua formação doutrinária se fez sentir em diversas exposições e conferencias públicas, que inspiraram respeito e fizeram-no credor de um amplo reconhecimento, como um dos líderes espíritas de maior prestígio em sua época.

Um elemento principal de seu pensamento e que constitui uma de suas contribuições mais originais, é a aplicação do método dialético na interpretação espírita do homem, da vida e do Universo. Ninguém antes dele e ninguém melhor do que ele até agora, soube empregar o método dialético para sustentar a concepção espiritualista e ao mesmo tempo demonstrar que, apesar do que se aceita tradicionalmente, as doutrinas materialistas que se apresentam a si mesmas como as donas da dialética, são em sua essência, profundamente anti-dialéticas.

Nessa mesma direção e ratificação da originalidade de suas idéias, Porteiro mostrou-se um firme partidário de uma sociologia espírita, que se traduzisse numa proposta concreta, na qual o Espiritismo e o Socialismo se conjugavam para impulsionar a construção de uma sociedade de maior evolução material e espiritual.

Por ora, pela brevidade que impõe este artigo, basta dizer que Porteiro, já em seu tempo, criticou fortemente as tendências autoritárias, burocráticas, estatizantes, materialistas do socialismo marxista e se manifestou por um socialismo democrático, humanista, respeitoso das liberdades públicas e individuais, baseado em valores ideológicos espiritualistas e concretamente, espírita, como haviam assumido ilustres personalidades do kardecismo como Léon Denis e Cosme Mariño.

Em seus três livros publicados Espiritismo Dialético, Conceito Espírita da Sociologia e Origem das Idéias Morais, assim como em centenas de artigos que estão espalhados pela imprensa espírita de seu tempo, se encontram magistralmente desenvolvidas todas suas idéias que foram, são e continuarão sendo, potentes focos de luz que orientam a todo aquele que havendo conhecido os princípios cardeais do Espiritismo, deseja aprofundar-se em sua conseqüências morais e sociais e queira transitar, sem desvios, por seus autênticos caminhos.

Porteiro foi um espírita completo. Humilde trabalhador manual, amoroso pai de família, autodidata que adquiriu com esforço e imensos sacrifícios uma extraordinária formação intelectual, até chegar a dominar amplos espaços no mundo da cultura, da sociologia, da filosofia e, naturalmente, da Doutrina Espírita.

Sem dúvida alguma, Porteiro está na galeria dos grandes do Espiritismo e muitos nos honra haver contribuído para resgatar sua memória e exaltar o imenso valor de sua contribuição à Doutrina que tanto amou e ao movimento a que tanto serviu.

Fontes: Pensamento Social Espírita

 Sandra Porteiro, de Buenos Aires, Argentina, as fotos digitalizadas de seu avô, o ilustre pensador espírita Manuel Porteiro (1881 - 1936).

 Sandra Porteiro, de Buenos Aires, Argentina, as fotos digitalizadas de seu avô, o ilustre pensador espírita Manuel Porteiro (1881 - 1936).

 Sandra Porteiro, de Buenos Aires, Argentina, as fotos digitalizadas de seu avô, o ilustre pensador espírita Manuel Porteiro (1881 - 1936).

 Sandra Porteiro, de Buenos Aires, Argentina, as fotos digitalizadas de seu avô, o ilustre pensador espírita Manuel Porteiro (1881 - 1936).

 Sandra Porteiro, de Buenos Aires, Argentina, as fotos digitalizadas de seu avô, o ilustre pensador espírita Manuel Porteiro (1881 - 1936).

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (El legado de Allan Kardec - El libro) “El legado de Allan Kardec” es el resultado de una investigación que realizamos personalmente en la Biblioteca Nacional de Francia, en los Archivos Nacionales de Francia, en la Confederación Espiritista Argentina y en la Asociación Espiritista Constancia, de Buenos Aires. Muchos de los documentos obtenidos en esta investigación son inéditos. Presentación: Simoni Privato Goidanich)

  Fontes: Confederación Espiritista Argentina

  Fontes: Vade Mecum Espírita

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Artigos Espíritas (Manuel Porteiro - O Espiritismo ante o Problema Social)

 

Biografia de Manuel Porteiro

 

Manuel Porteiro - Conceito Espírita de Sociologia

 

Manuel Porteiro - Espiritismo Dialético

 

Manuel Porteiro - Livre-Arbítrio e Determinismo

 

Manuel Porteiro - Origem das Idéias Morais