Casimiro Cunha

O GRANDE POETA DAS ESTRELAS

(1880 - 1914)

(OS DIVULGADORES DO ESPIRITISMO NAS TERRAs DE ISMAEL)

 

CASIMIRO CUNHA - "CARTILHA DA NATUREZA" - Psicografia de FRANCIsCO CÂNDIDO XAVIER

editora feb (1944)

 Biografia de Casimiro Cunha:

Poeta fluminense e espírita dedicado, Casimiro Cunha nasceu em Vassouras (RJ), em 14 de abril de 1880. Após um acidente aos 14 anos, tornou-se cego de um olho, dois anos depois perdeu a outra visão. Desencarnou em 1914, aos 34 anos, deixando vasta e preciosa obra literária poética.

Em Espírito, continuou a presentear o mundo com histórias como a obra Cartilha da Natureza, psicografada por Francisco Cândido Xavier.

Com a FEB Editora contribuiu com as obras: Cartilha da natureza, História de Maricota, Gotas de Luz, Juca Lambisca, Timbolão.

Psicografia de Chico Xavier:

ESPIRITISMO

Espiritismo é uma luz
Gloriosa, divina e forte,
Que clareia toda a vida
E ilumina além da morte.

É uma fonte generosa
De compreensão compassiva,
Derramando em toda parte
O conforto d’Água Viva.

É o templo da Caridade
Em que a Virtude oficia,
E onde a bênção da Bondade
É flor de eterna alegria.

É árvore verde e farta
Nos caminhos da esperança,
Toda aberta em flor e fruto
De verdade e de bonança.

É a claridade bendita
Do bem que aniquila o mal,
O chamamento sublime
Da Vida Espiritual.

*

Se buscas o Espiritismo,
Norteia-te em sua luz:
Espiritismo é uma escola,
E o Mestre Amado é Jesus.

Fontes: Espíritos Diversos - "Parnaso de Além-Túmulo" - Psicografia Chico Xavier

Psicografia de Chico Xavier:

AOS COMPANHEIROS DA DOUTRINA

Examinada de perto,
A luz da nossa Doutrina
É sempre a lição que ensina
A paz do caminho certo.

Necessário é discernir
A mistura, a ganga, o véu;
Muita vez a água do céu
Torna-se em lama, ao cair.

O mal vem de ouvidos moucos
Ou de olhos nevoados,
Há sempre muitos chamados;
Escolhidos? muito poucos.

Verdade é que o coração,
Que abrace a nossa Doutrina,
Penetra numa oficina
De esforço, luta, e ação.

Já não deve andar a esmo
Nas estradas da ilusão,
Mas buscando a perfeição
Na perfeição de si mesmo.

Portanto, é nossa divisa
Oração e Vigilância,
No bem que é bem substância
Da crença que diviniza.

No Evangelho de Jesus,
Feliz quem pode guardar
A força de realizar
Os grandes feitos da Luz.

*

Que no altar do coração
Tenhamos o amor profundo
Daquele que é a Luz do Mundo,
– Eis meu desejo de irmão.

Fontes: Espíritos Diversos - "Parnaso de Além-Túmulo" - Psicografia Chico Xavier

Psicografia de Chico Xavier:

O FAROLEIRO

Enquanto o leque da noite
Agrava a sombra e o perigo,
A distância, eis que se acende
O farol bondoso e amigo.

A luz define os caminhos,
Mostra o vulto dos rochedos,
Pode o barco prosseguir,
A treva não tem segredos.

Tudo é noite sobre o abismo,
Mas na torre existe alguém,
Atento em manter a luz,
Disposto a fazer o bem.

É o faroleiro. Em silêncio
Clareia a amplidão do mar,
Determina o rumo certo
E atende sem perguntar.

Navios maravilhosos,
Em prodígios de conforto,
Recebem-lhe o benefício
E seguem, de porto a porto.

Passam barcos de descanso,
Jangadas laboriosas
O farol ajuda sempre
Sem perguntas ociosas.

Todos devem ao farol,
Do comando ao marinheiro,
Mas quase ninguém conhece
As dores do faroleiro.

Por servir e auxiliar,
Aceita uma condição:
A vida de insulamento
Muita vez em privação.

Se ouvirmos as grandes vozes
Da verdade soberana,
Na terra acontece o mesmo
Nos mares da luta humana.

*

Quem possa trazer mais luz
Vive em campo solitário,
Tal qual o Mestre Amoroso
Da torre em cruz do Calvário.

Fontes: Casimiro Cunha - "Cartilhas da Natureza" - Psicografia Chico Xavier

Psicografia de Chico Xavier:

A BÚSSOLA

Na viagem rude e longa
Em região solitária,
A todos os viajores
A bússola é necessária.

Quando a jornada é difícil,
Aquele que a tem, de perto,
Vai seguindo confortado
Na bênção do rumo certo.

Sofrem ventos formidandos
E a sombra prometa a morte,
A bússola honesta e firme
Não perde a visão do Norte.

Muita vez, em mar revolto,
Nas zonas desconhecidas,
Atende, silenciosa,
Dando fé, salvando vidas.

Tudo angústia da borrasca
E trevas de nevoeiro,
Mas a bússola responde
Aos olhos do timoneiro.

De outras vezes, no deserto,
Se palpita a inquietação,
Traduz generosamente
O conforto e a direção.

Em meio a vacilações,
Significa o resumo
De grandes consolações
A quem ame o próprio rumo.

Tanto em água revoltada,
Como em areia, em espinho,
A bússola generosa
Jamais esconde o caminho.

Nas rudes experiências
Da romagem terrenal,
Não se pode prescindir
Do rumo espiritual.

*
Se caminhas neste mundo,
Sejas moço, sejas velho,
Não esqueças, meu amigo,
A bússola do Evangelho.

Fontes: Casimiro Cunha - "Cartilhas da Natureza" - Psicografia Chico Xavier

Psicografia de Chico Xavier:

O MAPA

Nos serviços necessários
A qualquer expedição,
O mapa é bondoso guia,
Servindo à orientação.

E’ sempre o mentor fiel,
Evitando o erro, a fossa,
E’ a força da experiência
Que passou antes da nossa.

Por obter-lhe o concurso,
Houve lágrimas, suor,
Sofrimentos, sacrifícios,
Misérias, ruínas, dor.

Por traçá-lo, muitas almas
Gemeram desconhecidas...
Certos mapas representam
Muitas mortes, muitas vidas.

O espírito estacionário,
Paralítico, inferior,
Embora lhe guarde o ensino,
Desconhece-lhe o valor.

Mas aquele que aproveita
O ensejo de cada dia,
Consulta e atende ao roteiro
Em paz e sabedoria.

Sabendo-se viajor
Nos caminhos da existência,
A carta de indicações
Dirige-lhe a experiência.

Estudando-a, com razão,
Vê-se intrépido e seguro,
Quem vigia no presente
Tem reservas no futuro.

No Mapa dos Corações,
Jamais esqueçamos disto:
O roteiro do Evangelho
Custou muito esforço ao Cristo.

*

Sigamo-lo com carinho
Em nossa oportunidade.
Estamos a percorrer
As sendas da eternidade.

Fontes: Casimiro Cunha - "Cartilhas da Natureza" - Psicografia Chico Xavier

Psicografia de Chico Xavier:

O DESPERTADOR

O relógio é o grande amigo
Na vida da criatura;
Acompanha-lhe a viagem
Desde o berço à sepultura.

Metódico, dedicado,
Movimentando os ponteiros,
Marca os risos infantis
E os gemidos derradeiros.

Revela oportunidades,
Mostra a bênção do minuto,
Indica tempo à semente,
Como indica tempo ao fruto.

Mas de todos os relógios
Que atendem cheios de amor
É justo salientar
O amigo despertador.

Quando alguém dorme ao cansaço,
Ele vibra, ajuda e vela,
Ritmando o tique-taque,
Tem coisas de sentinela.

Na hora esperada e justa,
Pontual, invariável,
Chama à luta o companheiro
Em bulha desagradável.

O seu barulho interrompe
O repouso desejado,
Acorda-se quase à força,
Levanta-se estremunhado.

Mas, somente ao seu apelo,
Há lembrança dos serviços,
Buscando-se incontinenti
A zona dos compromissos.

Assim, na vida comum,
Nas lutas de redenção,
Todo o tempo é precioso
Em qualquer situação.

*
Mas o tempo que nos fere,
Em provas, serviço e dor,
É o melhor de todos eles,
É o nosso despertador.

Fontes: Casimiro Cunha - "Cartilhas da Natureza" - Psicografia Chico Xavier

Ver no site Coleção Fonte Viva - Obras ditadas pelo espírito Emmanuel (Interpretação dos Textos Evangélicos)

Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (Amar e em Seguida Instruir – Segundo Proclama a Lei)

Fontes: José Passini - Crítica Literária Espírita

"A caridade é o amor, é o sol que Nosso Senhor fez raiar claro e fecundo; alegrando nesta vida a existência dolorida dos que sofrem neste mundo!"

Casimiro Cunha "O Grande Poeta das Estrelas"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Carta aos Enfermos - Chico Xavier - Casemiro Cunha)

 

Casimiro Cunha - "Cartilhas da Natureza" - Psicografia Chico Xavier (Poemas espíritas)