PARTICIPAÇÃO

GABRIEL DELANNE - LÉON DENIS

(OS GIGANTES DO ESPIRITISMO)

 

CONGRESSO ESPÍRITA INTERNACIONAL

A EXTERIORIZAÇÃO DO PENSAMENTO

LIÈGE / BÉLGICA - 1905

 

OBRA RARA TRADUZIDA

 

Conference

Sur l'Extériorisationde la Pensée

Donnee Par Gabriel Delanne

Aux Membresdu Congrès Spirite de Liège

Le Dimanche - 11 Juin 1905

 

Tradutora do Francês para o Português

Fabiana Rangel

 

Introdução da fala de Gabriel Delanne junto ao Congresso Espírita Internacional Liège (1905) com o temática  "A Exteriorização do Pensamento".

Senhoras, Senhores,

Minhas primeiras palavras serão um agradecimento para os membros do Congresso que me deram a honra de pedir que eu viesse esta noite expor, diante dos senhores, uma questão que toca a quase todos os problemas do Espiritismo. Essa questão é a exteriorização do pensamento.

Se fosse necessário desenvolver para os senhores todos os fenômenos que tocam a essa ordem de pesquisas, eu creio que o tempo seria precário para tratar a questão de modo completo.

Os fenômenos do Espiritismo são verdadeiros e eles assim o são porque foram afirmados inúmeras vezes, foram estudados com os métodos mais rigorosos. Se esses fenômenos são exatos, eles são incontestavelmente devidos à ação de seres que estão no espaço, à ação de seres que deixaram de pertencer a nosso planeta para viver em um outro ambiente, no espaço. E, bem! Se esses espíritos agem sobre nós, eles o fazem em meio a seus pensamentos e seguindo a disposição de pessoas especialmente qualificadas para receber esses pensamentos, que se chamam, essas pessoas, médiuns.

O pensamento de um espírito pode se traduzir seja por movimentos de um objeto qualquer – mais freqüentemente uma mesa – seja pela escrita, seja pela visão, seja pela audição, seja, enfim, pela penetração do pensamento, do espírito, tomando os órgãos do médium (o que se chama de mediunidade de incorporação).

O campo de estudos é imenso; mas é possível se preparar para ele estudando fenômenos análogos que podem se produzir durante a vida, em cada um de nós.

O pensamento pode se exteriorizar, o pensamento pode sair do ser humano para agir à distância sobre um outro ser humano de maneira que o segundo indivíduo tenha uma consciência vívida e precisa sobre o pensamento do primeiro. Foi, então, necessário que esse pensamento saísse do cérebro do agente – é assim que se chama aquele que opera – para penetrar no espírito do sujeito. Está aí a transmissão do pensamento.

Mas existe uma segunda forma de exteriorização do pensamento: é quando o indivíduo, em circunstâncias especiais – seja durante o sono natural, seja em transe – se exterioriza de modo a tomar conhecimento de eventos que se passam longe. Chama-se a esse fenômeno clarividência.

E, bem, nesse fato está realmente o pensamento do indivíduo, seu pensamento imaterial que sai dele mesmo; enquanto ele está fechado em seu quarto, que não amanhece, que os muros limitam o alcance de sua visão, ele toma conhecimento de eventos que se passam do lado de fora e ele pode descrevê-los perfeitamente. A clarividência é, então, uma das formas de exteriorização do pensamento.

Existe uma terceira forma à qual os sábios ingleses, que muito se ocupam dessa questão, os membros da «Sociedade de pesquisas psíquicas», deram o nome de telepatia.

A telepatia é a comunicação entre duas inteligências separadas pela distância, comunicação que não se efetua por nenhum dos sentidos dos quais temos o hábito de nos servirmos para transmitirmos nosso pensamento.

Por exemplo, eu estou aqui em Liège, passo por um acidente repentino e meu pensamento se reporta a um ser que me é caro. Pode acontecer que esse ser me veja tal como estou nesse momento, ou ouvir minha voz, ou sentir uma certa sensação que o advertirá de que me aconteceu um acidente.

Léon Denis "O Apóstolo do Espiritismo"

Ver obras completas de Léon Denis

Fontes: Centre d'etudes Spirites Leon Denis

Fontes: Portal Paulo Neto (Artigos Espíritas)

"Trata-se de demonstrar que esse ensinamento de Kardec é verdadeiro; trata-se de provar, pelas pesquisas dos sábios contemporâneos, que nós encontramos explicações claras, lógicas que vêm apoiar de maneira absoluta, certa, o ensinamento dado pelos espíritos há meio século; trata-se de mostrar que aquilo que foi conteúdo nos livros do mestre é verificado hoje de uma maneira absolutamente autêntica e precisa pelos sábios que não são espíritos. É, então, buscando em suas obras que nós vamos acumular as provas que demonstram de maneira absolutamente vívida que Kardec não nos enganou."

Congresso Espírita de Liège "Gabriel Delanne"

"A inteligência que se manifesta não emana dos operadores; ela declara ser aquele cujo nome declina. Não vemos porque se obstinaria em negar sua existência. Vamos, agora, acumular as provas da existência dos Espíritos, e elas irão se revestindo de um caráter cada vez mais forte, por forma que nenhuma denegação será capaz de combater a evidência da intervenção dos Espíritos nessas novas manifestações"

Gabriel Delanne "A Reencarnação"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Congresso Espírita de Liège - Bélgica (1905) - A Exteriorização do Pensamento PDF

 

Congresso Espírita de Liège - Bélgica (1905) - A Exteriorização do Pensamento DOC

 

Congrès Spirite de Liège - Bélgica (1905) - l´Extériorisation de la Pensée (Fr.)