Allan Kardec

O Codificador da Doutrina Espírita

O GRANDE CIENTISTA DO INVISÍVEL

(1804 - 1869)

 

Biografia dE aLlan kardec

(Allan Kardec O Codificador da Doutrina Espírita)

FATOS MARCANTES NA CODIFICAÇÃO ESPÍRITA

em áudio NO YOUTUBE

Apresentação do site:

O site vem agora apresentar um áudio muito bom sobre a biografia de Allan Kardec e as suas vastas lutas travadas pela divulgação da Doutrina Espírita perante ao mundo de sua época que estava mergulhado em religiões mortas pelas superficialidades dos dogmas e o materialismo agonizante do nada.

Após longo período de criteriosa observação, com seu raciocínio lúcido e irrefutável, Allan Kardec afirmava: "O Espiritismo matou o materialismo através dos fatos. E segundo suas conclusões, ele mostra os inevitáveis efeitos do mal e, conseqüentemente, a necessidade de se praticar o bem".

A grandeza do caráter de Allan Kardec não esta somente como Codificador da Doutrina Espírita mais seguindo os exemplos dos ensinamentos do Nazareno da Galileia que conforme se vê logo abaixo nas entrelinhas na correspondência com os desvalidos do mundo materialista.

Irmãos W. e Jorge Hessen

Apresentação do tema:

Em dezembro de 1913, a Revue Spirite (na época dirigida por Paul Leymarie) e a revista brasileira Reformador passaram a publicar em conjunto algumas correspondências inéditas de Allan Kardec. Pensava-se em publicá-las em ordem cronológica entre os anos de 1858 a 1869, porém a publicação foi interrompida por causa da Primeira Guerra Mundial (ver Reformador de 1974, página 261). O Blog História do Espiritismo está resgatando essas correspondências e passará a apresentá-las para o movimento Espírita.
Carta de Allan Kardec a um prisioneiro:

Sr., Recebi a carta que me escrevestes e à qual sinto que as ocupações não me tenham permitido responder mais cedo. Apesar de meu silencio não podeis duvidar de todo o interesse que tenho em vossa situação, sendo, sobretudo, os excelentes sentimentos de que estais animada e nos quais, graças à nova luz que se fez para voz, não duvido que persistais.

Continue, pois, a vos esclarecer, tanto quanto vossa posição o permite e encontrareis nessa santa doutrina e nos conselhos de vossos guias espirituais, as forças necessárias para resistir aos maus arrastamentos e a expiação terrestre aceita por vós com resignação cristã vos libertará das provas de outro modo muito penosas, que teríeis de sofrer sem volta sincera para Deus.

Imaginai que nunca é muito tarde para voltar ao bem e que Deus aceita todos os arrependimentos que partem do coração. Ele recebe com alegria a ovelha desgarrada que entra no aprisco e é isso sempre motivo de festa entre os Espíritos. Perseverai, pois, e quando deixardes a Terra para entrar em vossa verdadeira pátria, encontrá-los-eis à vossa chegada felizes por vos poderem estender os braços.

Oh! Então, de que alegria sereis penetrado, quando tiverdes saído do abismo em que alguns passos mais poderiam precipitar-vos, por muito longo tempo, por séculos talvez! Olhai para trás, e vossa vida passada não vos parecerá mais que um mau sonho. Quanto então agradecereis a Deus ter-vos enviado bons Espíritos para vos esclarecer e sustentar!

É já alguma coisa não praticar mais o mal e arrepender-se do que se fez; mas, para apagá-lo completamente, é preciso fazer o bem; ora, cada alma que tiverdes ajudado a entrar no bom caminho, vos será contada e ajuntará à vossa parte de felicidade futura alguma coisa, porque vos pagará em reconhecimento o serviço que lhe tiverdes prestado.

Aquele que está sempre pronto a vos ajudar com seus conselhos, Allan Kardec.

Fontes de materiais:

Esta correspondência foi publicada pela revista Reformador de 1914, paginas 170 e 171. Tradutor desconhecido. Agradecimento: Nosso sincero agradecimento à bibliotecária Ana Prado, pelo envio deste material. Outras obras consultadas: Barrera, Florentino - Resumo Analítico das obras de Allan Kardec. Madras, 2003, página 175.

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Allan O Codificador do Espiritismo)

Fontes: KardecPedia (Enciclopédia Allan Kardec)

Fontes: Temário da Obra Kardequiana (Allan Kardec de A a Z)

"Mas os fariseus, quando ouviram que Jesus tinha feito calar a boca dos saduceus, juntaram-se em conselho. E um deles, que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe: Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus lhe disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas."

(Mateus, XXII: 34-40)

"Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade."

Allan Kardec - O Codificador da Doutrina espírita

 

 

 

 

 

 

Allan Kardec O Codificador da Doutrina Espírita