Henri Regnault - A morte não existe

(Bibliografia de Léon Denis)

 

Apresentação das Obras de Léon Denis

 

Título Original em Francês

Henri Regnault - La mort n'est pas

Editions Leymarie

Paris (1928)

Prefácio da obra:

Henri Regnault teve a feliz idéia de apresentar um minucioso estudo das obras de Léon Denis, o grande discípulo e o perfeito continuador do Mestre Allan Kardec.

Em “A morte não existe”, encontraremos provas irrefutáveis da possibilidade que os desencarnados tem de se comunicarem com os vivos.

O simpático e devotado vice-presidente da Société Française d'Éstudes dei Phénomènes Psychiques estava realmente qualificado para por vigorosamente em destaque a elevada qualidade filosófica dos livros de Léon Denis, e lhe devemos ter tão bem compreendido a importância capital que essas obras possuem para todos os pensadores que desejam ver o Espiritismo adotado, não apenas pelos crentes sinceros, mas também, pelo mundo científico ainda um pouco hesitante e prisioneiro das estreitas e ultrapassadas fórmulas.

Eis porque o autor tão bem soube, em suas análises das obras de Léon Denis, mostrar a elevada verdade que ela, sublimemente, apresenta. Capítulo por Capítulo, ele pós, minuciosamente, em destaque o pensamento de Léon Denis.

Do escrínio tão bem ornado das mais valiosas jóias, ele extraiu os mais belos diamantes para melhor apresentar seus brilhantes efeitos.

Assim fazendo, Henri Regnault compreendeu que o maior benefício para os espíritas era, presentemente, conhecer bem os bons seareiros da mais bela das doutrinas e, nos ofertando uma nova obra, ele pôs seu zelo, utilmente, a serviço da melhor das Causas.

A difusão dos livros de Léon Denis é um dever a que seus admiradores devem-se impor. Eles poderão cumprir essa tarefa com facilidade e método quando tiverem conhecimento das mais belas passagens de suas obras e, assim, estarão à altura de torná-la conhecida, utilmente, a todos os pesquisadores, sedentos da verdade.

Paul Bodier

Presidente da Sociedade Francesa de Estudos Psíquicos

Introdução:

Antes de começar o estudo da obra de Léon Denis e a sua influência, recolhi-me e solicitei, ardentemente, o auxílio e a assistência, não apenas de meus guias e de meu amigo desaparecido a nossos olhos físicos, mas também a proteção de Allan Kardec, Camille Flammarion, Dr. Geley, Comandante Darget, Gabriel Delanne e demais pioneiros do Espiritismo, que precederam Léon Denis no Além. Todos realizaram, em nosso mundo, uma tarefa ingrata, muitas vezes bem difícil.

Eles poderiam, melhor que os outros invisíveis, me ajudar a concluir o trabalho empreendido e me inspirar, a fim de que minha nova obra pudesse ser útil.

Desejo lembrar a obra de Léon Denis aos que, já espíritas, encontraram, em sua companhia intelectual, alegrias ideais e um precioso reconforto, porém gostaria, principalmente, que meu livro fosse lido pelos que ainda não estão iniciados no Espiritismo.

Possam meus inspiradores me ajudar a bem narrar as provas irrefutáveis da realidade espírita; possam meus incrédulos leitores estar devidamente interessados em ler, atentamente, nossos autores e achar, graças a eles, os meios dessa real e completa felicidade que eu, pessoalmente, conquistei, pelo estudo de nossa doutrina.

Desde que, por sua feliz intermediação, compreendi as reais razões de nossa passagem pela Terra, estou perfeita e completamente feliz.

Conhecendo os motivos de minha vinda ao nosso planeta, guardo a segurança e a calma, mesmo nos frequentes períodos em que passei as diversas provações que, aliás, neste mundo, atingem a todos.

Se me sinto feliz, tenho o dever de tornar conhecido de todos os motivos de minha felicidade; nunca tive tanta razão de aplicar este sábio preceito de Sêneca: “Toda felicidade que não é repartida perde sua doçura.”

Desde que comecei uma ativa propaganda para fazer conhecer às massas o que é exatamente o Espiritismo, tive a grande satisfação de levar a algumas pessoas as possibilidades de serem felizes, o que lhes parecia que jamais obteriam.

No momento de apresentar meu trabalho à apreciação do público, desejo, de todo o coração, que ele sirva, por vezes, de farol àqueles que, levados pela tempestade nas lutas terrestres, estando inclinados ao desânimo e mesmo ao fracasso, vejam brilhar ao longe o mágico clarão que o Espiritismo projeta em nosso planeta.

16 de janeiro de 1928

Henri Regnault

Ver no site as obras publicadas pelo escritor Henri Regnault

Fontes: César Perri - GEECX - Grupo de Estudos Espíritas Chico Xavier

Fontes: Revista Doutrina - Acesse

 

"Não sobrecarregues os teus dias com preocupações desnecessárias, a fim de que não percas a oportunidade de viver com alegria"

Mensagem psicografada por Chico Xavier "Ditado pelo Espírito de André Luiz"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Programa Espiritismo em Foco - Movimento Espírita Pós Kardec - Episódios e Declínio Doutrinário na França)

 

Henri Regnault - A morte não existe PDF