ALFRED RUSSEL WALLACE

O GRANDE EVOLUCIONISTA ESPÍRITA

CO-AUTOR DA TEORIA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

(1823 - 1913)

 

Em inglês “Spiritualism” significa espiritualismo e espiritismo ao mesmo tempo, já que não existe um termo específico para espiritismo, lembrando que essa palavra foi idealizada pelo pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, mais conhecido como Allan Kardec, em sua pesquisa deu início à codificação da Doutrina Espírita, com a publicação de O Livro dos Espíritos (1857).

 

OBRA RARA TRADUZIDA

 

Biografia de Alfred Russel Wallace:

Alfred Russel Wallace nasceu em Usk, Monmouthshire, na Inglaterra, em 8 de janeiro de 1823.

Foi naturalista, evolucionista, geógrafo e antropólogo. Foi o co-fundador da teoria seleção natural. Converteu-se ao Espiritismo em 1865.

Se houve um cientista que nunca recebeu sua fatia justa da glória, esse foi Alfred Russel Wallace. Wallace, que co-fundou a teoria da Seleção Natural com o cavalheiro de condado Charles Darwin, teve uma vida muito diferente.

Forçado a deixar a escola e começar a trabalhar aos 14 anos de idade. Wallace se empregou como aprendiz de topografia, mas usava o pequeno tempo livre que tinha para continuar sua educação informal.

Em 1848 percorreu a bacia amazônica e, quando voltou, também escreveu um livro no qual descrevia sua viagem, apesar de um incêndio no navio ter destruído parcialmente suas anotações.

Em 1854 zarpou para a península malaia e as ilhas das Índias orientais onde reuniu uma coleção de cerca de 125.000 espécies. Coletar tantas espécimes de tantas locações deu a Wallace razão para ponderar as diferenças entre as espécies e finalmente publicar um manuscrito, On the Tendency of Varieties to Depart Indefinitely from the Original Type.

Embora ele não tenha usado o termo "seleção natural", ele argumentou a mesma coisa. Ao invés de enviar seu trabalho diretamente para um editor, Wallace no lugar enviou o manuscrito para Charles Darwin, com quem ele tinha iniciado uma correspondência. Vendo o trabalho de Wallace, Darwin percebeu que ele estava ficando para trás, e decidiu por fim aos 20 anos de atraso em publicar sua própria teoria.

Os trabalhos de Wallace e Darwin foram lidos na mesma reunião da Linnean Society em Londres em 1 de julho de 1858. No ano seguinte, Darwin publicou On the Origin of Species.

Dentre os muitos prêmios concedidos a Wallace vale citar a Order of Merit (Ordem do Mérito), de 1908, a Medalha Copley da Royal Society (Sociedade Real), de 1908, a Medalha do Fundador da Royal Geographical Society e a Medalha de Ouro da Linnean Society (Sociedade Lineana), de 1892.

No Campo do Espiritismo

Foi também, na Inglaterra, um grande defensor entusiasta da Doutrina Espírita.

As principais obras, o "The Scientific Aspect of Supernatural de 1866", "A Defense of Modern Spiritualism de 1874", "Les Miracles et le modern Spiritualisme de 1875", sendo que ajudaram muito na difusão do Espiritismo naquele país, chamando a atenção dos cientistas para a observação e estudo dos fenômenos espíritas.

Wallace foi um dos fundadores, em 1864, da Sociedade Dialética de Londres, dedicada ao estudo dos fenômenos espíritas. O rigor científico de seus relatórios, incentivaram Crookes para investigar estes fenômenos. Wallace realizou sessões com alguns médiuns, dentre eles, Slade, o qual testemunhou o fenômeno da escrita direta sobre lousas.

Em uma carta a um parente em 1861, Wallace escreveu: "Penso ter razoavelmente escutado e ponderado as evidências de ambos os lados e continuo um completo descrente de quase tudo o que você considera serem as verdades mais sagradas... Posso ver muito a ser admirado em todas as religiões... Mas quanto a haver um Deus e qual seja a Sua natureza; quanto a termos ou não uma alma imortal ou quanto ao nosso estado após a morte, não posso ter medo algum de ter que sofrer pelo estudo da natureza e pela busca da verdade...."

Wallace era um entusiasta de frenologia. No início de sua carreira ele fez vários experimentos com o mesmerismo. Ele usou alguns de seus alunos em Leicester como sujet, com considerável sucesso. Quando ele começou seus experimentos com magnetismo animal, o tema já era experimentado pelos magnetizadores de primeira hora, como John Elliotson que havia recebido criticada até seu estabelecimento médico e científico. Wallace desenhou uma conexão entre suas experiências com magnetismo e suas investigações posteriores em espiritismo. Em 1893, ele escreveu:

E assim aprendi minha primeira grande lição no inquérito sobre estes campos obscuros de conhecimento, nunca aceitar a descrença dos grandes homens ou as suas acusações de impostura ou de imbecilidade, a partir de qualquer peso quando se opôs à observação repetida de fatos por outros homens, reconhecidamente sãs e honesto. Toda a história da ciência nos mostra que sempre que os homens educados e científicas de qualquer idade negaram os fatos de outros investigadores aprioristicamente do absurdo ou impossibilidade, os que negam ter sido sempre errado.

Alfred Russel Wallace enfrentou a intolerância de uma época, intolerância contra sua origem social, contra sua religião e mesmo contra a sua honestidade científica.

Alfred Russel Wallace morreu em Broadstone, Dorset, também na Inglaterra, a 7 de novembro de 1913.

Fontes: Alfred Russel Wallace - O Aspecto Científico do Sobrenatural

Quando voltei do exterior, em 1862, li sobre o espiritualismo e, como a maioria das pessoas, achei que fosse tudo fraude, ilusão, estupidez. Encontrei pessoas aparentemente inteligentes e sadias que ora asseguravam que haviam experienciado coisas maravilhosas. A senhora Marshall era uma médium conhecida em Londres àquela época e, após um exame detido, fiquei convencido de que os fenômenos associados a ela eram perfeitamente genuínos. Mas levei três anos de investigações subseqüentes para certificar-me de que eles eram produzidos por espíritos. (Dawson, 1898)

Peter Raby "Os Biógrafos de Alfred Russel Wallace"

O fato de Wallace ter-se unido aos espiritualistas ingleses na defesa do médium Slade teve implicações em sua vida profissional, uma vez que o próprio Lankester o denunciou aos seus pares da Sociedade Britânica para o Progresso da Ciência por ter "degradado as discussões da sociedade pela introdução do espiritualismo. Esta acusação se baseou em uma comunicação em que William Barrett defendia a existência da telepatia e referia-se a fenômenos mesméricos e espiritualistas, aprovada para um encontro da referida sociedade. A aprovação da comunicação se deu na subseção de antropologia, como um voto de Minerva dado por Wallace, que era presidente da seção de biologia.

Toda esta publicidade negativa fez com que Wallace não fosse eleito secretário da Sociedade Britânica para o Progresso da Ciência e também dificultou a posterior concessão de uma pensão do Governo Britânico, numa época em que ele passava por dificuldades financeiras. Ele houvera escrito a Arabella Buckley, secretária de Lyell, solicitando-lhe ajuda para conseguir algum emprego que o permitisse sustentar a família. Ela solicitou a Darwin que o indicasses para receber uma pensão do governo. Darwin iniciou uma série de consultas a seus pares, que hesitaram em fazer uma recomendação de Wallace ao burocrata responsável, em decorrência dos eventos polêmicos e de sua adesão ao espiritualismo, como se pode ler no seguinte trecho da correspondência de Hooker:

Como pode um homem pedir a seus amigos que assinem tal solicitação? Além disso, que governo pode honestamente ser informado que o candidato é um público e destacado espiritualista? (Raby 2001. p.222)

Peter Raby "Os Biógrafos de Alfred Russel Wallace"

Wallace viajou a Nova York para fazer conferências e visitou três sociedades espiritualistas norte-americanas, em Boston, Washington e São Francisco (Fodor, s.n.). Ele assistiu a sessões e fez contatos com os espiritualistas norte-americanos. Encontrou-se com o conhecido psicólogo William James em diversas ocasiões. Em uma delas, assistiu a uma sessão de materialização com a senhora Ross na qual apareceram muitas pessoas e objetos, como um índio, um rosto de bebê, que ele beijou, etc. Em uma outra sessão, ele identificou um primo, Alg. Wilson.

Houve uma acusação de fraude da médium e Wallace escreveu em sua defesa em uma carta publicada no jornal Banner of Light. Nessa época, Wallace publicou um artigo intitulado "Estão os fenômenos do espiritualismo em harmonia com a ciência?", mas os biógrafos não se entenderam quanto a data e local desta publicação. Raby e Fodor dizem que ocorreu em 1886, no Banner of Light. Smith afirma que foi publicado originalmente em 1885, no jornal Sunday Herald, de Boston, e depois republicado com pequenas modificações no periódico The Médium and Daybreak, em dezembro de 1885.

Peter Raby "Os Biógrafos de Alfred Russel Wallace"

Fontes: Vita Oltre la Morte (Documentario sulla vita di Alfred Russel Wallace)

Fontes: Le Centre Spirite Lyonnais Allan Kardec (Bibliothèque Spirite en Français)

Fontes: The Alfred Russel Wallace Page

Fontes: The International Association for the Preservation of Spiritualist

 

"Eu era um materialista tão convencido, que não admitia absolutamente a existência do mundo espiritual. Os fatos, porém, são coisas pertinazes. Eles me obrigam a aceitá-los como fatos"

Alfred Russel Wallace "O Evolucionista"

"Os fenômenos espíritas estão tão bem comprovados, como os fatos de todas outras ciências"

Alfred Russel Wallace "O Evolucionista"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Biografia de Alfred Russel Wallace

 

Alfred Russel Wallace - Defesa do Espiritualismo moderno (Obra rara traduzida)

 

Alfred Russel Wallace - O Aspecto Científico do Sobrenatural

 

Alfred Russel Wallace - Esiste Un'altra Vita (Ital)