Revista Espírita

PUBLICAÇÃO MENSAL DE ESTUDOS PSYCHOLOGICOS

feita sob os auspícios de alguns espírita

(1875 - 1875)

(redigida por DR. Antônio da Silva Neto)

 

Rio janeiro

Typographia de domingos luiz dos santos

rua nova do ouvidor - 18

Brasil (1875)

 

Em 1875,  A Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio

lançou o segundo periódico espírita do BRASIL

a "Revista Espírita", dirigida pELO DR. Antônio da Silva Neto

(primeiro no Rio de Janeiro)

aparecEU em 1º de janeiro de 1875

e desaparecendo ao fim de seis meses

Biografia de Dr. Antônio da Silva Neto:

Nasceu em 26 de outubro de 1836, na Bahia e desencarnou em 05 de setembro de 1905.

Engenheiro, bacharel em Matemática e Ciências Físicas, desde cedo demonstrou ideias liberais e abolicionistas. Publicou o livro "Ligeiras Reflexões Políticas".

Aproximou-se do Espiritismo através de reuniões informais com alguns amigos, culminando com a fundação da Sociedade de Estudos Espiríticos – GRUPO CONFÚCIO, em 02 de agosto de 1873, da qual foi Vice-Presidente. E no lançamento da REVISTA ESPÍRITA em 01/01/1875.

Relutante em aceitar a fenomenologia espírita, afinal através uma fotografia, embora imperfeita, mas familiar, despertou para os fenômenos espirituais. A partir daí "tornou o arauto destemido da Consoladora Mensagem que o Cristo fizera baixar à Terra."

Silva Netto, em agosto de 1874, foi eleito presidente do GRUPO CONFÚCIO. Possuindo extensa cultura, intensa experiência da vida social, informações razoáveis sobre o Espiritismo, como já ressaltamos, além de outras nobres qualidades que o indicavam para a assumir o difícil cargo.

Em seu discurso, Silva Netto pronunciou ante os membros da Sociedade de Estudos Espiríticos GRUPO CONFÚCIO, na sessão de 22 de agosto de 1874, está exposto com clareza e precisão o programa que ele seguiria doravante. Sem descurar a prática da caridade, frisava, entretanto que esta não era o caráter exclusivo da Sociedade' como alguns lhe queriam emprestar. ( ... ) (1)

(1) "O Discurso do Dr. Silva Netto" (Revista Espírita) (Ano de Janeiro de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio) (VER NO SITE)

Baseado em Allan Kardec, ele mostrou que as manifestações físicas não deviam ser desprezadas, pois que elas ajudam a convicção de certas pessoas, e insistia neste ponto, com a transcrição e comentário de trechos de obras kardequianas.

"Posso afirmar hoje - prosseguiu Silva Netto - que tenho percorrido os trabalhos do fundador da Doutrina, todos os volumes da Revista de Paris, que não há razão para se proscrever manifestações físicas dos grupos de estudos."

Trata a seguir da formação e desenvolvimento de médiuns, setor que fora quase que esquecido na gestão anterior, e acaba por desaconselhar com razões bem ponderáveis, a doutrinação de Espíritos sofredores, levianos e obsessores, em sessões públicas, como vinha sendo feito, considerando que uma sessão especial. particular, deveria ser criada para esse fim.

Antônio da Silva Neto conduziu-se com firmeza no seu posto, cheio de humildade evangélica e daquela "fé do espírita", como ele chamava à fé que pode encarar a razão face a face em todas as épocas da Humanidade.
Revista Espírita dirigida por Dr. Antônio da Silva Neto:

O "GRUPO CONFÚCIO" lança a "REVISTA ESPÍRITA" em 01/01/1875 (Publicação mensal de Estudos Psicológicos, nos moldes da “REVUE SPIRITE”, de Allan Kardec), organizada e dirigida pelo Dr. Antonio da Silva Neto.

Era o segundo periódico espírita do Brasil e o primeiro do Rio de Janeiro, capital do Império.

A "REVISTA ESPÍRITA" publicou notáveis artigos doutrinários e de refutação aos inimigos da Doutrina, duramente atacada pelo "JORNAL DO COMÉRCIO", nos anos de 1874/5, que tachava o ESPIRITISMO de “epidemia mais perigosa que a febre amarela”, verdadeira fábrica de doidos. (VER NO SITE)

O Grupo Confúcio:

As origens do Espiritismo no Brasil

Essa sociedade, fundada em 2 de agosto de 1873, com estatutos impressos e notícias pela imprensa nacional e estrangeira, inclusive em Paris, tomou o nome de GRUPO CONFÚCIO. Não era uma homenagem ao grande filósofo chinês, mas a um Espírito, que vinha desde algum tempo, nos trabalhos particulares do Dr. Siqueira Dias, ensinando elevados princípios de moral. Na organização dessa primeira entidade jurídica do Espiritismo no Brasil entrou o elemento homeopático com preponderância.

O GRUPO CONFÚCIO tinha como divisa era: "Sem caridade não há salvação". Sem caridade não há verdadeiro espírita.

Alguns de seus membros tornaram-se mesmo, com o tempo, notáveis médiuns curadores, que só empregavam a homeopatia.  A primeira diretoria do Grupo Confúcio ficou assim organizada: Dr. Francisco de Siqueira Dias Sobrinho, presidente; Dr. Antônio da Silva Netto, vice-presidente; Dr. Joaquim Carlos Travassos, secretário-geral; Eugênio Boulte, 2° secretário; Marcondes Pestana, 3° secretário; Casimir Lieutaud, tesoureiro; Dr. Francisco Leite de Bittencourt Sampaio, Sra. viúva Perret Collard e Sra. Rosa Molteno, membros da chamada Comissão de exame, eleitos dentre os sócios titulares, pois que os havia "livres" e "correspondentes".

O Regulamento, datado de 9 de outubro de 1873, e publicado nesse mesmo ano pela Tipografia da América, Rua da Assembléia nº 36-A, estabelecia no artigo 1º que a Sociedade tinha "por fim o estudo dos fenômenos relativos às manifestações espiríticas, bem como o de suas aplicações às ciências morais, históricas e psicológicas".

O artigo 28 dizia que o Grupo seguiria os princípios e as formalidades expostos em O Livro dos Espíritos e em O Livro dos Médiuns, conformando-se com as diretrizes adotadas pela "Sociedade para a Continuação das Obras Espíritas de Allan Kardec", com sede em Paris e na época sob a esclarecida direção de P. G. Leymarie.

Numa exposição datada de 11 de abril de 1874, a Diretoria do Grupo Confúcio, atendendo a um desejo da Revue Spirite, de Paris, pôs os membros da "Société pour Ia continuation des ceuvres spirites d’Allan Kardec" a par da fundação do referido Grupo, destacando-lhe ( ... ) que, por unanimidade dos membros fundadores, o Grupo Confúcio aceitara sem reservas os princípios expostos em "O Livro dos Espíritos" e em "O Livro dos Médiuns", e no fim transcrevia duas comunicações mediúnicas obtidas no mesmo dia da fundação, mensagens simples mas cheias de vibração espiritual, respectivamente assinadas por Confúcio guia protetor, e por Allan Kardec.

A Sociedade espírita parisiense expressa ao Grupo Confúcio seus sentimentos fraternais, manifestando, mais adiante, a admiração pelos obreiros espiritistas de além-Atlântico:

"Honra aos homens de iniciativa que nesse vasto império se fazem servidores do progresso e da verdade."

Não podemos os adeptos de hoje aquilatar devidamente as dificuldades, os impedimentos e toda uma série de obstáculos com que naqueles recuados tempos defrontaram os pioneiros do ideal espírita no Rio de Janeiro.

Travassos examinou todo este estado de coisas, e resolveu empreender a árdua tarefa de traduzir do francês as obras capitais de Allan Kardec. Pôs-se imediatamente em atividade e, já em começo de 1875, escrevia ele uma carta ao Sr. P. G. Leymarie, administrador e redator da Revue Spirite, carta na qual revela todo o seu entusiasmo e toda a sua alegria, apanágios dos bons trabalhadores, cientes dos deveres a cumprir para com a Humanidade.

Pelo Grupo Confúcio, na sua curta existência de menos de três anos, passaram quase todos os curiosos e crentes da época e muitos vieram de longe. A ele deve o Espiritismo brasileiro os serviços inestimáveis: as primeiras traduções das obras de Allan Kardec; a primeira assistência gratuita homeopática; a busca de conhecer os ensinamentos de Allan Kardec através da criação de escolas para treinamento mediúnico; A luta contra ideias mistificadoras que se acoplaram nos ensinamentos de Allan Kardec no Brasil que se apresentam com a forma de Jean Baptiste Roustaing. (Sublinhamos)

Fontes: Canuto Abreu - Bezerra de Menezes

Esta missiva foi publicada em Revue Spirite de agosto de 1875, à página 269, e, sem dúvida, sempre ocupará um lugar de destaque nos anais da História do Espiritismo no Brasil.

Fontes: Hemeroteca Digital Brasileira (Baixar volumes completos da Revista Espirita (Ano de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (O Espiritismo jamais será superado)

 Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (Amor, um sentimento por excelência)

"O Espiritismo é uma ciência de observação; portanto, está compreendida no quadro das ciências positivas: o fervor que desperta do ânimo dos que o estudam, é uma forte presunção á favor das verdades que proclama e dos fatos que explica, por isso está sendo propagado por todas as nações do mundo."

Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio "Dr. Antônio da Silva Neto"

"Sendo, portanto, o Espiritismo uma ciência de observação, cumpre-nos observar, assim como sendo uma filosofia devemos estudá-la. Para observar necessitamos de instrumentos, e como sabeis esses são os médiuns para os diversos efeitos.

Para pôr-nos a parte da parte filosófica basta ler e meditar as cinco obras de Allan Kardec; assim como para acompanhardes o desenvolvimento que vai tendo todos os dias a nossa ciência, buscai as diversas publicações periódicas, especialmente a Revista Espírita publicada em Paris, a qual desde o seu aparecimento até hoje conta 17 anos. São pois dezessete volumes quase completos que precisas ler, para poderdes, meditando sobre eles, fazer uma ideia completa do Espiritismo".

Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio "Dr. Antônio da Silva Neto"

Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos.

Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos.

As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do Universo.

Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor! Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus.

O ESPÍRITO DE VERDADE

NOTA - A instrução acima, transmitida por via mediúnica, resume a um tempo o verdadeiro caráter do Espiritismo e a finalidade desta obra; por isso foi colocada aqui como prefácio "O Evangelho Segundo O Espiritismo".

 

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Discurso do Dr. Antônio da Silva Neto - Como presidente da Sociedade de Estudos Espíriticos - Grupo Confúcio - Na sessão de 22 agosto de 1874 PDF (Documento raro)

 

Discurso do Dr. Antônio da Silva Neto - Como presidente da Sociedade de Estudos Espíriticos - Grupo Confúcio - Na sessão de 22 agosto de 1874 DOC (Documento raro)

 

Revista Espirita (Ano de Janeiro de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 

Revista Espirita (Ano de Fevereiro de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 

Revista Espirita (Ano de Março de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 

Revista Espirita (Ano de Abril de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 

Revista Espirita (Ano de Maio de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)

 

Revista Espirita (Ano de Junho de 1875) (Sociedade de Estudos Espiríticos - Grupo Confúcio)